A Implantação do Estado Policial no Rio de Janeiro

Quais as verdadeiras razões da Ocupação das Favelas ?

Parte 1 – Seus Problemas Acabaram !

Rorschachbr
PlanetaPrisão
Terça, 22 de Dezembro – Última atualização 28 de Dezembro

Quarta-Feira, dia 23, a polícia vai ocupar mais 2 comun…, ops perdão, mais 2 favelas na Zona Sul do Rio de Janeiro. Isto não chega a ser uma novidade, até porque o próprio governador Sérgio Cabral Filho informou 3 dias antes a data e os locais de ocupação.Creio que o governador tomou essa atitude carinhosa para prevenir eventuais confrontos, embora ele já tivesse anunciado há 20 dias atrás os locais, não informou os dias exatos. Assim ficou mais fácil para a firma planejar a queima de estoque (drogas) e a retirada de equipamentos (armas e munição) antes da entrega das chaves do imóvel para os novos donos. O destino da mudança não poderia ser outro: o território da paz. De fato, este é um governo que se preocupa com a integridade física de todos, sem discriminação. Desde que seja morador da Zona Sul.

Vamos deixar um pouco de lado a bondade do governador e falar do “ enorme ” sucesso das UPPs, para quem não sabe explico a sigla: Unidade de Polícia Pacificadora. Para um melhor entendimento considero obrigatório assistir a este vídeo do RJTV:

http://rjtv.globo.com/Jornalismo/RJTV/0,,MUL1420256-9097,00.html

Reparem na felicidade estampada no rosto da apresentadora (ela não mora na favela) ao falar do projeto, que segundo suas palavras começou a mudar a realidade dos moradores, libertando-os do domínio do tráfico.Após a apresentação básica do morro já vem falando que a subida de 1000 degraus até o topo ficou mais fácil com “ o plano inclinado ”, que nada mais é do que um pequeno bondinho.O RJTV destaca que essa é a 1ª fave…,quer dizer , a 1ª comunidade a receber o “ novo ” projeto. É hora dos moradores falarem sobre o que mudou e o que precisa melhorar. Sei…, quer dizer então que nada ficou pior após a ocupação ? Só houveram ganhos e nenhuma perda ? Humm… veremos.

O que já melhorou ? – pergunta a repórter – Muito. – responde o morador – Agora temos comprovante de residência, somos cidadãos. Acho que ele agora deve ter contas de água e luz chegando em sua casa, não podendo mais usufruir dos serviços as custas dos outros usuários. Normalmente a correspondência é enviada para o endereço da associação de moradores e cada um vai buscar a sua, então falar que não tinha comprovante de residência me parece uma meia verdade. Contrate um serviço de telefonia fixa ou tv por satélite para ver se, havendo condições técnicas para instalação, as contratadas não acham um jeito de enviar a conta para o contratante. Esses serviços, e até mesmo internet banda larga, há muito existem nas comu…, digo, favelas. Só não são gratuitos.

A seguir são exibidas imagens antigas dizendo que a favela foi marcada pela guerra do tráfico na década de 80, e curiosamente não menciona a de 90, a qual consolidou o domínio de fato do tal “ Estado Paralelo “ com o advento de modernas armas de guerra, acirrando as disputas entre as diferentes facções criminosas, mas isso é assunto para outro artigo. Em seguida a imagem é substituída por cenas atuais das obras e a repórter narrando que “ junto com a Polícia Pacificadora, vieram serviços públicos como luz, água, acesso à internet, construção de moradias “. Falando desta forma entende-se que antes não existiam estes serviços na comunidade, o que sabemos que não é verdade, pois água e luz são serviços essenciais. O fato é que simplesmente o Estado nunca forneceu serviços de qualidade e como compensação permitiu que os moradores os utilizassem sem pagar, o popular “ gato “. Construção de moradias e acesso à internet serem chamados de serviços públicos é uma afirmação que já começa a insultar a minha inteligência, afinal de contas as favelas são o caos que conhecemos hoje porque foram e continuam sendo construídos barracos, casas, e até mesmo prédios de forma totalmente descontrolada sob os tolerantes olhos do poder público, mas com recursos dos próprios moradores, ou seja, recursos privados. O acesso à internet residencial e comercial desde que surgiu sempre foi um serviço pago (e caro), e as iniciativas públicas ainda estão engatinhando nessa área, não se comparando a qualidade do serviço privado, que com o passar do tempo tornou-se acessível para mais pessoas com aumento da qualidade e diminuição dos preços. Existem hospitais e escolas públicas e particulares não é mesmo ? Qual será a opção de quem pode escolher ?

O RJTV tentando mostrar isenção menciona problemas no abastecimento de água com depoimento de uma moradora, e depois no abastecimento de luz à noite em uma parte da fav…, ops comunidade, que já dura 8 meses ( já imaginou 8 meses sem luz ? ) segundo depoimento de outro morador. Pouco depois a apresentadora informa que “ a Cedae comprometeu-se a enviar uma equipe ainda hoje “ e que “ a Rioluz começou ontem o novo projeto de iluminação pública que vai atender toda a comunidade com 500 novos pontos… “. Prestem muita atenção: “ começou o novo projeto “ não significa exatamente que já estão trabalhando. Um projeto é uma teoria, a execução de um projeto é uma ação, ou seja, caso alguém reclame de uma suposta demora, é só alegar que o projeto ainda não foi finalizado e faltam pequenos detalhes ou outras desculpas desse tipo. Podemos perceber claramente que mesmo querendo mostrar uma suposta imparcialidade, a matéria do RJTV só focaliza os aspectos positivos da ocupação, visto que, ao apresentar os problemas apressa-se em informar que a solução já está a caminho, minimizando os transtornos de quem passou ou ainda está passando o transtorno de ficar sem água e/ou luz.

Uma resposta para A Implantação do Estado Policial no Rio de Janeiro

  1. L, Drummond disse:

    A guerra do Dona Marta de 1987 é emblemática na história do tráfico de drogas na cidade. Foi o primeiro conflito em morros da zona sul da cidade. A disputa entre Zaca e Cabeludo pelo ponto de drogas no Dona Marta, a imagem da menina Carla segurando uma pistola automática correram o mundo.
    No ano seguinte outra cena emblemática é a do triunvirato da Rocinha (Naldo,Buzunga,Cassiano e Brasileirinho), anunciando para a imprensa e disparando para o alto na área conhecida como Fliperama II anunciando a ascensão de Naldo como o novo dono da boca, após a morte súbita do chefe Bolado.
    No ano seguinte o Cantagalo presenciou a guerra entre os traficantes Pé e Charuto.
    Aliás foi ainda em 1989 que o primeiro fuzil AR15 foi apreendido no RJ, a apreensão ocorreu na favela de Acari e foi efetuada pelo 9º BPMERJ de Rocha Miranda sob o comando do Cel. Emir Campos Laranjeira.
    Nos anos 80 ainda faltou destacar as Operações Mosaico I e II do secretário Helio Saboya em conjunto com a Polícia Federal que praticamente levaram o tráfico a ruína, tal fato motivou a criação de uma nova modalidade criminosa a extorsão mediante sequestro.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: