O Super-Homem do Povão

14/01/2011

http://www.thesun.co.uk/sol/homepage/features/3339579/Superman-of-the-people.html 

 

É um pássaro? É um avião? Não, é Phoenix Jones!

Por SANSONMAM (Tudo Bem… Pete Samson)

Publicado em 10 de Jan de 2011

Esta não é a proposta mais atraente que eu já recebi em uma sexta-feira à noite.

“Nós vamos lá embaixo no metrô agora,” Phoenix Jones avisou-me.

“É muito perigoso – popular entre ladrões e traficantes de drogas e muitos deles carregam armas. Mas a polícia não desce lá embaixo e se nós não vigiarmos, ninguém irá.”

Espreitando em torno de becos escuros junto a um homem vestido da cabeça aos pés com um traje de borracha colado ao corpo normalmente não é meu conceito de uma boa saída noturna.

Mas Phoenix – o líder do movimento de super-heróis da vida real de Seattle – é bem sucedido nas esquinas mais sombrias da cidade, enquanto tenta livrar as ruas do crime.

Samsonman ... with Phoenix Jones

Em meu kit de máscara e capa vermelha para super-heróis iniciantes, me juntei a ele para uma noite de patrulhamento nas ruas de sua cidade natal.

Super-Homem podia voar, o Homem-Aranha tinha seus impressionantes sentidos e até mesmo o Homem-Banana tinha a força de 20 homens.

Mas tendo visto Phoenix em ação, eu posso revelar que os únicos superpoderes que ele possui são seus culhões de aço.

No-fear gear ... protective suit specially designed for Phoenix

O prestador de cuidados – um perito em artes marciais – entrou no traje pela primeira vez e tornou-se Phoenix Jones dez meses atrás.

Agora todas as noites, o pai de dois relógios sai de seu emprego das nove às cinco e chega no centro de Seattle – dirigindo seu Kia – para farejar bandidos.

Ao invés do Batsinal, podem chamá-lo projetando o logotipo da Kia no céu, segundo as piadas locais. Ele impede a venda de drogas, dispersa brigas de bar, causa rumores entre os ladrões e tem afugentado pistoleiros.

Ele foi esfaqueado duas vezes e baleado uma, seu uniforme personalizado salvou sua vida pelo menos uma vez.

Descrevendo seu kit, ele explica: ” Eu tenho um colete à prova de balas e várias placas anti-facada. O traje de borracha é reforçado com fio e eu tenho placas anti-trauma nas minhas pernas, então se alguém me esfaquear ou balear eles não podem atingir a artéria. “

” A menos que acertem perto da virilha – ali a artéria está exposta “

Pow! ... hero is a hit with the lads

Mostrando suas armas, Phoenix continua: ” Eu tenho um bastão taser, spray de pimenta e uma clava. “

“ Os sprays são entrelaçados com luminol. Quando você acende uma luz sobre o luminol ele brilha. Se um criminoso fugir após ter sido borrifado os policiais podem identificá-lo mais tarde. No estado de Washington você pode carregar praticamente qualquer arma que você quiser, até uma espada de 3,5 pés. “

Phoenix começou sua missão de combate ao crime após seu carro ter sido arrombado e o ladrão deixado uma máscara de esqui para trás.

Ele esclarece: ” Então aquilo me impactou.‘Eu sei o que eu tenho que fazer’ “.

” Eu fui ao Walmart e comprei um par de meias, um collant e umas luvas e coloquei a máscara que o ladrão deixou no meu carro. ”

” Eu patrulhei as ruas nesse traje por um tempo até que eu fui esfaqueado nas costas por um traficante de drogas. Eu pensei: ‘Isso é estúpido. Lutar de lycra é coisa de histórias em quadrinhos. Então eu consegui um traje melhor e nasceu Phoenix Jones. “

Crunch! ... time for bad guys thanks to Phoenix

O líder da comunidade internacional Super-Heróis da Vida Real – auto intitulado Sr. X – tinha ouvido falar do promissor início de Phoenix e providenciou para que o traje fosse especialmente feito por um especialista que criou muitos para os super-heróis da vida real.

Phoenix acrescenta: ” Quando os criminosos me olham eles ficam com medo e saem das ruas. Meu traje diz, ‘ Eu estou aqui e eu não vou deixá-los atingir minha cidade’. “

Meu terno, contudo, não diz nada desse tipo.Durante a nossa patrulha Phoenix reprimiu uma venda de drogas e apartou uma briga entre dois bêbados. Mais tarde, nós vimos ambos acariciando-se, então na verdade ele separou uma desavença entre amantes.

Às vezes ele hostiliza os bêbados e drogados encarando-os e pode atrair violência ao invés de impedir.

Mas sua simples presença também espanta alguns possíveis delinquentes também.

Phoenix lançou o Movimento de Super-heróis de Rain City em Seattle, que agora possui nove integrantes: Dragão vermelho, Espinho, Buster Doe, Ceifeiro Verde, Gêmeos, Sem Nome, Catástrofe, Trovão 88 e Penélope.

Phoenix explica: ” Há cerca de 250 super-heróis da vida real ativos na América “.

” Você pode não saber, mas vocês tem super-heróis no Reino Unido também. Existe um cara chamado Jack Benjamin Cox, que tem um traje como o meu. – mas sem esses bons acessórios. E há o Comandante Santo combatendo o crime em Cheshire “.

Phoenix recebe diferentes reações da polícia local, mas assegura que está conquistando-a.

Ele não quis revelar sua identidade, mas diz: ” Eventualmente percebi que se eu fosse prestar queixa contra os criminosos eu iria ter que tirar a máscara “.

“Então eu tive uma reunião na delegacia e chegamos a um acordo onde eu poderia escrever Phoenix Jones em relatórios e entrar com acusações até chegar ao tribunal, quando eu tenho que usar meu nome verdadeiro. Então, uma vez chegando ao tribunal posso solicitar o fechamento do arquivo para proteger a minha verdadeira identidade”.

Aguardem a conclusão…


A Implantação do Estado Policial no Rio de Janeiro X

04/01/2011

Quais as verdadeiras razões da Ocupação das Favelas ?

Parte 9 – Operação Teatral

Rorschachbr
PlanetaPrisão
Terça, 4 de  janeiro de 2011

Com informações dos artigos do Jornal ExtraOnline:

Bope da Rocinha: traficantes com medo da polícia, um legado do Alemão

Bope usou ônibus câmeras israelenses na Rocinha

Oitenta policiais do Bope passearam pela Rocinha, nesta quarta-feira, sem qualquer reação dos traficantes. A polícia prendeu dois suspeitos, apreendeu duas toneladas de maconha… foram apreendidas diversas balas de fuzil calibre 762. Em outro barraco, policiais apreenderam uma granada de fabricação caseira, um fuzil de paintball e várias camisetas com inscrições de traficantes mortos.

Um retumbante FRACASSO !! O resultado foi tão ridículo que estão contando arma de paintball e granada caseira como “apreensões”. Ah, tem também as camisetas…

Essa falta de agressão dos criminosos é apontada como um reflexo da soberania demonstrada pelas forças de segurança, nas ocupações da Vila Cruzeiro e do Complexo do Alemão, há um mês.

A bem-sucedida estratégia dos criminosos é apontada como sinal de medo, o que será desmentido pela própria reportagem mais adiante.

— Já enfrentamos situações complicadas, na Rocinha. Por isso, ficamos surpresos com a ausência total de resistência. Isso facilitou o cumprimento dos nossos dois objetivos: conferir esconderijos de drogas e mapear as modificações causadas pelas obras do PAC — ressaltou o capitão Ivan Blaz.

Era esse o objetivo? 80 homens da tropa de elite da PM para achar drogas e fazer mapas? Levaram os cães? Prender criminosos e encontrar armas não são mais importantes?

Segundo uma pessoa ligada ao chefe do tráfico na Rocinha, Antônio Bonfim Lopes, o Nem, o bandido já sabia, há dez dias, que a favela seria alvo de uma operação e deu a ordem para seu grupo não trocar tiros com a polícia. Também determinou que fuzis e metralhadoras fossem desmontados e escondidos em diversos lugares, tentando evitar um prejuízo maior.

— Ele avisou que a polícia ia entrar na véspera do Natal. Foi uma semana depois e todos estavam esperando por isso. Nem disse que não valia a pena peitar a polícia porque qualquer droga que os canas tirassem da Rocinha não seria pior do que perder fuzis e ter gente morta — revelou a fonte, que, durante a ação policial, diz ter visto de dez a quinze bandidos correndo, com mochilas nas costas, em direção à mata próxima à parte alta da Estrada da Gávea.

O setor de inteligência da quadrilha da Rocinha funciona muito bem, dez dias antes já sabia da operação. A reportagem informa que “segundo uma pessoa ligada ao chefe do tráfico…”, Epa! O informante foi denunciado pela imprensa. Muito estranho…

Quando o Bope saiu da favela, Nem e seus comparsas em motos voltaram a circular pela Rua 4 e na Subida da Cachopa, carregando sacos com pedaços de armas para serem remontados.

Tudo voltou ao normal. E sabemos como é o normal.

Para Alexandre Estelita, investigador da 15ª DP (Gávea), atualmente, os criminosos sabem que encarar a polícia é atrair um problema ainda maior para o morro.
– Os traficantes viram tanques da Marinha e do Exército entrando na Penha e no Alemão. As coisas mudaram, no Rio – afirmou Estelita.

Eles sempre souberam disso lá policial. E o delegado sabe que eles sabem. As coisas mudaram no Rio, mas na Rocinha continua tudo igual.

Segundo o diretor do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE), delegado Ronaldo Oliveira, a facção da Rocinha adota uma tática diferente, de pouco confronto. De acordo com ele, interceptações telefônicas feitas pela Polícia Civil mostram traficantes desta favela dando ordens para bandidos não atirarem nos policiais.
– A Rocinha nunca foi muito de reação. A estratégia deles é ter um confronto inicial para permitir a fuga dos bandidos, mas, realmente, nosso trabalho na Penha e no Alemão mostrou que, se eles enfrentarem, só têm a perder – destacou Oliveira.

É verdade delegado. Por causa disso que eles deixam uma grande quantidade de maconha velha, alguns buchas armados com poderosos rádios tomando conta e todo mundo fica bem na foto!

O coordenador de Relações Públicas da PM, tenente coronel Henrique de Lima Castro Saraiva, explicou que a Rocinha será alvo de operações sempre que houver necessidade.
– Esta operação não teve a proporção da ocupação dos conjuntos de favelas do Alemão e da Penha, até mesmo porque não estamos com o apoio de blindados das Forças Armadas. Não vamos deixar a Rocinha sem a presença da polícia por vários anos, como acabou ocorrendo no Alemão – ressaltou

Deve ser porque uma operação não é uma ocupação, certo? Ou seja a polícia saiu, os criminosos voltaram. Ainda bem que a polícia não vai abandonar a Rocinha, ou seja, de vez em quando vai fazer operações como essa. Mas pode deixar que todos serão avisados, para não atrapalhar a “ rotina da comunidade ”.

OS BUCHAS "ARMADOS" COM RÁDIOTRANSMISSORES

CONCLUSÃO

É visível a fidelidade e o comprometimento não só deste, mas de todos os principais jornais, rádios e TVs com a fracassada política de segurança deste (des) governo transformando o fracasso em sucesso. Apenas na internet conseguimos encontrar pessoas dispostas a relatar verdadeiramente os acontecimentos aqui no Rio de Janeiro. O resto, em sua maioria já está cooptado pelo sistema. O verdadeiro ganhador destas reportagens foi o chefe do tráfico na Rocinha, que foi retratado como um estrategista e ainda por cima preocupado com o bem-estar de seus subordinados e da comunidade. Que bela jogada de marketing !! Que belo espetáculo teatral essa operação !!