A Implantação do Estado Policial no Rio de Janeiro X

Quais as verdadeiras razões da Ocupação das Favelas ?

Parte 9 – Operação Teatral

Rorschachbr
PlanetaPrisão
Terça, 4 de  janeiro de 2011

Com informações dos artigos do Jornal ExtraOnline:

Bope da Rocinha: traficantes com medo da polícia, um legado do Alemão

Bope usou ônibus câmeras israelenses na Rocinha

Oitenta policiais do Bope passearam pela Rocinha, nesta quarta-feira, sem qualquer reação dos traficantes. A polícia prendeu dois suspeitos, apreendeu duas toneladas de maconha… foram apreendidas diversas balas de fuzil calibre 762. Em outro barraco, policiais apreenderam uma granada de fabricação caseira, um fuzil de paintball e várias camisetas com inscrições de traficantes mortos.

Um retumbante FRACASSO !! O resultado foi tão ridículo que estão contando arma de paintball e granada caseira como “apreensões”. Ah, tem também as camisetas…

Essa falta de agressão dos criminosos é apontada como um reflexo da soberania demonstrada pelas forças de segurança, nas ocupações da Vila Cruzeiro e do Complexo do Alemão, há um mês.

A bem-sucedida estratégia dos criminosos é apontada como sinal de medo, o que será desmentido pela própria reportagem mais adiante.

— Já enfrentamos situações complicadas, na Rocinha. Por isso, ficamos surpresos com a ausência total de resistência. Isso facilitou o cumprimento dos nossos dois objetivos: conferir esconderijos de drogas e mapear as modificações causadas pelas obras do PAC — ressaltou o capitão Ivan Blaz.

Era esse o objetivo? 80 homens da tropa de elite da PM para achar drogas e fazer mapas? Levaram os cães? Prender criminosos e encontrar armas não são mais importantes?

Segundo uma pessoa ligada ao chefe do tráfico na Rocinha, Antônio Bonfim Lopes, o Nem, o bandido já sabia, há dez dias, que a favela seria alvo de uma operação e deu a ordem para seu grupo não trocar tiros com a polícia. Também determinou que fuzis e metralhadoras fossem desmontados e escondidos em diversos lugares, tentando evitar um prejuízo maior.

— Ele avisou que a polícia ia entrar na véspera do Natal. Foi uma semana depois e todos estavam esperando por isso. Nem disse que não valia a pena peitar a polícia porque qualquer droga que os canas tirassem da Rocinha não seria pior do que perder fuzis e ter gente morta — revelou a fonte, que, durante a ação policial, diz ter visto de dez a quinze bandidos correndo, com mochilas nas costas, em direção à mata próxima à parte alta da Estrada da Gávea.

O setor de inteligência da quadrilha da Rocinha funciona muito bem, dez dias antes já sabia da operação. A reportagem informa que “segundo uma pessoa ligada ao chefe do tráfico…”, Epa! O informante foi denunciado pela imprensa. Muito estranho…

Quando o Bope saiu da favela, Nem e seus comparsas em motos voltaram a circular pela Rua 4 e na Subida da Cachopa, carregando sacos com pedaços de armas para serem remontados.

Tudo voltou ao normal. E sabemos como é o normal.

Para Alexandre Estelita, investigador da 15ª DP (Gávea), atualmente, os criminosos sabem que encarar a polícia é atrair um problema ainda maior para o morro.
– Os traficantes viram tanques da Marinha e do Exército entrando na Penha e no Alemão. As coisas mudaram, no Rio – afirmou Estelita.

Eles sempre souberam disso lá policial. E o delegado sabe que eles sabem. As coisas mudaram no Rio, mas na Rocinha continua tudo igual.

Segundo o diretor do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE), delegado Ronaldo Oliveira, a facção da Rocinha adota uma tática diferente, de pouco confronto. De acordo com ele, interceptações telefônicas feitas pela Polícia Civil mostram traficantes desta favela dando ordens para bandidos não atirarem nos policiais.
– A Rocinha nunca foi muito de reação. A estratégia deles é ter um confronto inicial para permitir a fuga dos bandidos, mas, realmente, nosso trabalho na Penha e no Alemão mostrou que, se eles enfrentarem, só têm a perder – destacou Oliveira.

É verdade delegado. Por causa disso que eles deixam uma grande quantidade de maconha velha, alguns buchas armados com poderosos rádios tomando conta e todo mundo fica bem na foto!

O coordenador de Relações Públicas da PM, tenente coronel Henrique de Lima Castro Saraiva, explicou que a Rocinha será alvo de operações sempre que houver necessidade.
– Esta operação não teve a proporção da ocupação dos conjuntos de favelas do Alemão e da Penha, até mesmo porque não estamos com o apoio de blindados das Forças Armadas. Não vamos deixar a Rocinha sem a presença da polícia por vários anos, como acabou ocorrendo no Alemão – ressaltou

Deve ser porque uma operação não é uma ocupação, certo? Ou seja a polícia saiu, os criminosos voltaram. Ainda bem que a polícia não vai abandonar a Rocinha, ou seja, de vez em quando vai fazer operações como essa. Mas pode deixar que todos serão avisados, para não atrapalhar a “ rotina da comunidade ”.

OS BUCHAS "ARMADOS" COM RÁDIOTRANSMISSORES

CONCLUSÃO

É visível a fidelidade e o comprometimento não só deste, mas de todos os principais jornais, rádios e TVs com a fracassada política de segurança deste (des) governo transformando o fracasso em sucesso. Apenas na internet conseguimos encontrar pessoas dispostas a relatar verdadeiramente os acontecimentos aqui no Rio de Janeiro. O resto, em sua maioria já está cooptado pelo sistema. O verdadeiro ganhador destas reportagens foi o chefe do tráfico na Rocinha, que foi retratado como um estrategista e ainda por cima preocupado com o bem-estar de seus subordinados e da comunidade. Que bela jogada de marketing !! Que belo espetáculo teatral essa operação !!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: