SWAT Ataca Mãe Por Recusar Medicação Imposta a Filha Pelo Estado

20/04/2011

http://www.prisonplanet.com/swat-attacks-home-school-mom-for-refusing-to-force-med-child.html

Kurt Nimmo
Infowars.com
14 de Abril de 2011

Maryanne Godboldo, uma mãe de Detroit, enfrenta múltiplas acusações criminais e está sob custódia com a fiança fixada em U$ 500.000 após um impasse de 10 horas com uma equipe de policiais da SWAT fortemente armados. Godboldo estava protegendo sua filha de 13 anos da medicação desnecessária ordenada pelo Estado.

A filha de Godboldo nasceu com um pé defeituoso que exigiu a amputação de sua perna abaixo do joelho, o que levou Maryanne a tornar-se uma mãe permanentemente em casa após o seu nascimento, de acordo com o Health Impact News Daily.

Apesar de sua desvantagem, a criança nadava, cantava, dançava e tocava piano. No entanto, a menina educada em casa ao aproximar-se da idade do ensino médio, ela naturalmente quis começar a freqüentar a escola pública e, portanto, tinha que ser “ atingida ” pelas vacinações que o Estado persiste em exigir sob pretexto da lei.

Swat chegando ao apartamento da mãe usando um carro blindado

De acordo com sua tia, Penny Godboldo, a menina sofreu uma reação contrária à vacinação. “ Ela começou a agir fora de suas características, ficando irritada, tendo trejeitos faciais que foram associadas as vacinas, ” Penny disse ao Detroit News.

Maryanne Godboldo solicitou ajuda do Centro das Crianças, uma organização que busca ajuda para famílias com filhos em situação de risco. Godboldo disse aos parentes que os remédios prescritos pelo médico pioraram os sintomas, inclusive os problemas de comportamento.

Quando Godboldo recusou-se a ministrar a medicação prescrita a sua filha, o Serviço de Proteção à Criança (CPS)¹ foi envolvido. O CPS obteve um mandado para retirar a menina, mas Maryanne teria se recusado a entregar a criança ao Estado.

A polícia alegou que Godboldo descarregou uma arma de fogo em seu apartamento durante o impasse, e foi aí que a equipe da SWAT foi acionada.

O advogado de Maryanne afirma que sua cliente nunca atirou na polícia em uma notícia do Voice of Detroit, a qual relata que a polícia enviou os agentes da “ Equipe de Reação Rápida de Detroit (SRT)², que chegaram à casa com um carro blindado e armas de assalto. Imagens gravadas mostram cada agente cercando a casa, abrigando-se atrás de árvores com suas armas, como em uma operação militar “, informa o Health Impact Daily News.

O Detroit News relata que Godboldo tem uma excelente reputação em sua comunidade, e durante o impasse de 10 horas, muitas pessoas da comunidade ofereceram-se para ajudar nas negociações, incluindo líderes religiosos e ativistas comunitários.

A juíza do distrito de Wayne, Deborah Thomas, finalmente convenceu Maryanne a entregar-se com a promessa de que sua filha seria entregue a um parente. Membros da família, no entanto, dizem que a menina foi apanhada pelo Estado, independentemente do prometido.

Maryanne Godboldo foi denunciada perante o Juiz do 36° Distrito, Sidney Barthwell Jr, sob acusações de disparo de arma de fogo em um domicílio, ataque criminoso, resistir e obstruir um agente, e uso de arma de fogo no cometimento de um crime. Sua fiança foi fixada em U$ 500.000.

Estou chocada com o valor da fiança. Eu nunca imaginei que seria tão alto e que ela não ficaria livre para cuidar de sua filha ”, disse uma indignada Deborah Thomas.

Maryanne Godboldo apela para Obama intervir e ter sua filha devolvida

 

O Serviço de Proteção à Criança estava tentando obrigar sua filha a tomar um perigoso medicamento, Risperdal, contra a sua vontade. Nós conseguimos obter uma ordem judicial assinada pelo juiz Richard Skutt [Comarca do Município de Wayne], suspendendo a administração desta droga, a qual não é aprovado pela FDA, em tais casos. É por isso que a colocoram em Hawthorne, para que eles pudessem dopá-la “, disse o advogado da família, Allison Folmar, à imprensa.

O caso Godboldo é mais um exemplo do CPS trabalhando em conluio com a polícia, no intuito de tomar crianças à força. Godboldo obviamente era uma excelente mãe, e não uma ameaça à polícia. O fato de terem enviado um carro blindado para seu apartamento é mais uma prova de que o Estado reagirá automaticamente de maneira violenta quando sua autoridade for desafiada.

¹ No original em inglês, Child Protective Services.

² No original em inglês, Detroit Special Response Team.

 

Anúncios

Softwares de “ controle remoto ” colocam aviões em risco de ataques terroristas

13/04/2011

http://www.couriermail.com.au/news/national/remote-control-computer-programs-pose-terror-risks-to-aeroplanes/story-e6freooo-1226032870380

Alex Dickinson The Courier-Mail 04 de abril de 2011 12:01

AVIÕES poderiam ser controlados remotamente e obrigados a colidir com o uso de um recém-criado programa de computador.

Os ataques cibernéticos são vistos hoje por especialistas como o segundo maior risco para a aviação após as catástrofes naturais.

Representantes da Qantas e da Virgin Airlines foram alertados da ameaça na Conferência de Segurança em Aviação da Ásia-Pacífico, em Hong Kong.

O perito australiano em segurança cibernética Ty Miller, do Pure Hacking, disse na conferência que frotas inteiras de aviões poderiam ser usadas.

“ O estereótipo de ataque ao aeroporto em Duro de Matar 2, onde o comando das aeronaves pode ser assumido, não é mais só um roteiro de filme. É uma realidade concreta ”, disse Miller.

“ Dependendo de qual informação for acessada… O próprio controle da aeronave pode ser comprometido.”

“ Você poderia traçar para que, quando os aviões estivessem no ar, subitamente todos eles começassem a despejar todo o combustível, ou forçar os aviões entrarem em queda livre. E não necessariamente um avião, poderia ser uma frota inteira de aviões. ”

A empresa do sr. Miller compromete-se com o “ hacking ético ”, o que consiste em testar a segurança de uma rede tentando invadir seus sistemas.

Passando-se por um empregado desonesto com acesso geral aos sistemas de uma companhia aérea, o Sr. Miller foi recentemente capaz de assumir o controle de toda a rede da companhia em um dia.

“ Isso nos daria acesso completo de administrador a todo o sistema de computadores e acesso a documentos e dados potencialmente confidenciais ”, disse ele.

Ele citou o episódio do worm Stuxnet, onde um invasor desconhecido usou o software para sabotar uma das instalações de enriquecimento de urânio do Irã no ano passado.

O ataque do Stuxnet sobrecarregou a rede interna das instalações nucleares, causando seu desligamento.

“ A análise do ataque do Stuxnet (no Irã), mostrou que ele exigiu uma equipe de cinco ou dez pessoas trabalhando há pelo menos seis meses ”, disse o sr. Miller.

“ Foi extremamente bem executado, e os responsáveis teriam acessado informações privilegiadas para realizar diversos ataques em várias etapas a uma série de diferentes empresas para efetuar espionagem industrial. ”

“ Para comprometer os sistemas eletrônicos de uma aeronave, os hackers teriam que ter o mesmo nível de informações e possivelmente precisariam invadir a Boeing, a companhia aérea específica e os sistemas do aeroporto.”

“ Na verdade, um funcionário desonesto foi uma ameaça maior do que os terroristas,” disse o sr. Miller.