Policiais de Nova York Preparam-se Para Distúrbios Civis

27/08/2011

http://www.prisonplanet.com/new-york-cops-prepare-for-civil-unrest.html

Unidade especial criada para “ vasculhar o Twitter e o Facebook ” em busca de “ atividades suspeitas ”

Paul Joseph Watson
Infowars.com
Sexta-feira 19 de Agosto de 2011

Na sequência dos tumultos da semana passada no Reino Unido, o NYPD¹ realizou um “ exercício de mobilização ” para treinar a polícia, em preparação a distúrbios civis nos Estados Unidos, enquanto também lança um programa destinado a detectar sinais de potenciais distúrbios através dos sites de redes sociais .

A Unidade de Controle de Distúrbios do NYPD juntou policiais de todos os cinco bairros da cidade para ensaiar a reação, que será do tipo: “ manifestações fora de controle não serão toleradas aqui ”. 

Um total de aproximadamente 180 policiais da força-tarefa de cada bairro, incluindo as unidades de cavalaria e aérea, foram para o exercício ”, relata o Metro .

No entanto, ao contrário do Reino Unido onde os desordeiros eram compostos principalmente por adolescentes aproveitando a oportunidade de roubar iPods e outros dispositivos eletrônicos de ponta, distúrbios civis nos Estados Unidos são muito mais propensos a ter motivação política.

Com muitos norte-americanos agora tornando-se “pré-revolucionários” em consequência de sua fúria contra a administração Obama e os igualmente impopulares parlamentares em Washington, possíveis distúrbios civis poderiam brotar não somente das classes mais atingidas pela pobreza, mas também da classe média que está encolhendo.

Talvez por isso o Departamento de Segurança Interna está cada vez mais focando seu aparato anti-terror nos americanos brancos de classe média, retratando-os como terroristas domésticos em uma série de vídeos PSA².

Além do treinamento para tumultos, também foi criada uma nova unidade no NYPD para “ vasculhar o Twitter e o Facebook em busca de atividades suspeitas ”, a fim de antecipar-se a potenciais flash mobs³ e outros distúrbios civis.

Sites de redes sociais como Facebook e Twitter foram duramente condenados após os tumultos no Reino Unido, com o primeiro-ministro David Cameron defendendo que as autoridades tenham o poder de interromper o acesso em períodos de desordem pública.

Por seu papel em desacreditar as mídias sociais, Cameron foi elogiada por ninguém menos que a China comunista, que habitualmente censura a Internet para esconder a corrupção política ou impedir legítimos manifestantes de receberem atenção da mídia. O Estado comunista regularmente usa esse poder, que o senador Joe Lieberman pediu para ser introduzido nos Estados Unidos, para encobrir as atrocidades e abusos contra seus próprios cidadãos.

Twitter, Facebook e Youtube estão proibidos na China e mesmo as limitadas versões aprovadas pelo governo desses sites agora são desligadas por longos períodos de tempo para que eles possam “ remover todo o conteúdo politicamente sensível de acordo com as ordens das autoridades de internet chinesas ”.

*********************

Paul Joseph Watson é o editor e redator do PrisonPlanet.com. Ele é o autor de Order Out Of Chaos. Watson também é um apresentador ocasional do Alex Jones Show.

¹ New York Police Department – Departamento de Polícia de Nova York

² Public Service Announcements – Anúncio de Utilidade Pública

³ Neste caso, os flash mobs ( reuniões de várias pessoas em um mesmo local marcadas pela internet ) são para cometer saques. Veja um exemplo:

http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2011/08/jovens-organizam-acao-na-internet-para-roubar-loja-em-1-minuto.html


Anúncios

Policiais Foram Ordenados a Recuar Enquanto Londres Pegava Fogo

15/08/2011

Reação insuficiente levou o povo a clamar por lei marcial

http://www.infowars.com/police-were-ordered-to-stand-down-as-london-burned/

Paul Joseph Watson
Infowars.com
Wednesday, August 10, 2011

Exatamente como informamos ontem, baseado em inúmeros relatos de testemunhas oculares, surgiu agora a informação de que a polícia recebeu ordens para recuar e deixar Londres pegar fogo durante as primeiras noites de tumultos, uma atitude que rapidamente levou um povo apavorado a pedir tropas nas ruas, balas de borracha, canhões de água e toques de recolher.

Na terça-feira destacamos a “ reação medíocre da polícia, com vários relatos do público de que a polícia recuou e permitiu aos ladrões saquearem tanto as grandes lojas de departamento  quanto os pequenos negócios privados por horas a fio. ”

De acordo com testemunhas oculares dos primeiros tumultos em Tottenham, policiais foram vistos “ recuando e deixando os desordeiros causarem estragos ”, uma orientação que continuou durante as noites posteriores antes do primeiro-ministro David Cameron mandar  10.000 policiais adicionais na noite passada para patrulhar Londres.

Isso foi confirmado agora por fontes de dentro da Scotland Yard que disseram que a polícia recebeu ordens de “ ficar e observar ”, ainda que crimes violentos estivessem descaradamente sendo praticados contra pessoas e propriedades privadas, uma diretiva que os impediu de prender qualquer um dos desordeiros.

“ Aparentemente eles foram instruídos para tentar conter qualquer forma de violência, mas não para capturar os criminosos que, em vez disso, seriam identificados através das filmagens posteriormente ”, relata o Daily Mail .

A decisão de mandar a polícia recuar está sendo explicada como uma reação ao clamor público após a morte de Ian Tomlinson, um vendedor de jornais que foi morto por policiais de choque durante a cúpula do G20 em 2009.

No entanto, como temos exaustivamente documentado , as autoridades habitualmente permitem que o caos fique fora de controle, chegando até mesmo ao ponto de contratar seus próprios agentes provocadores, a fim de manipular o público para exigir providências típicas de um estado policial que, no fim das contas, só servem para oprimir a legítima divergência contra o Estado.

A reação insuficiente da polícia rapidamente levou a pedidos de lei marcial, toques de recolher e o uso de canhões de água nas ruas da Inglaterra pela primeira vez, uma medida que o primeiro-ministro David Cameron já autorizou.

The Sun, o jornal britânico mais lido, fez uma enquete hoje que descobriu que dois terços dos britânicos apóiam o uso de balas de borracha para lidar com os desordeiros, enquanto 33 por cento apóiam o uso de balas de verdade.

“ Toques de recolher são apoiados por 82 por cento, o uso de gás lacrimogêneo tem 78 por cento de apoio e o de Tasers 72 por cento ”, afirma a reportagem.

*********************

Paul Joseph Watson é o editor e redator do PrisonPlanet.com. Ele é o autor de Order Out Of Chaos. Watson também é um apresentador ocasional do Alex Jones Show.