The Dilma Deception¹

28/07/2013

Rorschachbr
PlanetaPrisão
Domingo, 28 de Julho de 2013

Acabou. A carruagem presidencial voltou a ser abóbora. Nunca antes na história desse país o povão tinha feito uma coisa dessas. É claro que Dilma Bolada está mais para madrasta do que cinderela que perdeu o sapatinho mas agora ficou evidente. O Brasil das propagandas de televisão desapareceu repentinamente. Apareceu o brasileiro revoltado, bem ao contrário do que as pesquisas da FIFA indicavam. É a economia, seus estúpidos. Não essa dos telejornais, palavras diferentes para explicar o óbvio, a do dia a dia. Como é que vocês querem distrair o povo com o preço da cerveja subindo direto ? E os fumantes então ? Viraram uma espécie de leprosos. Com a elitização do Maraca vocês já perderam uma boa opção de alienação. Restam os bailes funk nas comunidades e os eventos “gratuitos” durante o ano inteiro (carnaval de rua, festas juninas, ano novo, etc…) sempre financiados por vocês. E tome cachê para artistas não criticarem o governo.

Mas o que houve com a “presidenta” ? A mãe do PAC (Programa de Aceleração da Corrupção) virou as costas para seus filhos ? Como ela não percebeu que o povo não queria só diversão e arte ? Não foi sequer avisada por seus muitos ministros ? Eis que a realidade vem a tona. Apesar de toda cumplicidade da mídia ficou evidente toda a incapacidade para ocupar o posto de chefe de estado. O marketing quis convencer as pessoas que a presidente é uma pessoa séria e competente e ainda tem a sensibilidade feminina. Nunca acreditei. Ela teve a cara de pau de anunciar um desconto nas contas de luz que na verdade é uma devolução do que foi cobrado a mais.

Isso é seriedade ?

Sua biografia na Wikipedia informa que não veio de família pobre, então pode ser que não saiba que quando os alimentos da cesta básica ficam mais caros o povo passa por um aperto e perde o bom humor. Com o quilo do feijão e da farinha subindo sem parar sobra menos para comprar a mistura. Até para os que recebem o bolsa sei lá o quê ficou complicado. Não adianta ficar distribuindo cartões para o povo comprar liquidificador com o preço das frutas, legumes e também o do leite em alta, ao contrário de Dilma nas pesquisas.

Isso é competência ?

A fórmula não mudou. Temos os governos gastando cada vez mais com mecanismos de controle dos cidadãos e buscando cada vez mais recursos da maioria para beneficiar a minoria pertencente ao seu sistema. Esses mecanismos são o que possibilitou que uma pessoa sem nenhum tipo de diferencial em sua biografia chegasse até o posto de chefe de estado. Embora o seu mentor e antecessor não possua formação acadêmica compatível com o cargo, ele tinha uma história, inclusive participando do teatro das eleições. Dessa vez não. A rede de benesses do estado já tinha alcançado um nível tão profundo que o personagem já não importava mais. A mídia e o povo adestrados para não cutucar os pontos fracos. Qualquer um que ousasse seria acusado de preconceito. E o mantra da primeira mulher presidente ecoou como se isso fosse a solução dos nossos problemas. A tal da sensibilidade feminina que faltava. O resultado está aí. Desde a demora a se manifestar até as atitudes tomadas na hora em que a parada ficou séria deixam claro que Dilma é uma farsa. Está com medo de ser deposta e quer mudar logo as regras do jogo. Aproveitar que está no poder e garantir um financiamento para sua campanha. Impedir que o povo possa escolher o candidato transferindo essa decisão para os partidos. Sabe que uma bomba relógio está em seu colo. O Brasil está na merda. Comprometeu-se com muitas coisas e a fatura está para ser liquidada. Onde erraram no cálculo ? O povo deveria segurar a onda até depois da Copa. Aí já seria tarde demais. Ou quem sabe o plano é este ? Convencer o povo de que é necessário um estado cada vez mais forte para que os benefícios continuem chegando aos que precisam, ou seja os que estão dentro do sistema.

E os que tem vergonha na cara “presidenta” ?

¹ Créditos para The Obama Deception de Alex Jones


A Revolta dos Playboys

01/07/2013

Rorschachbr
PlanetaPrisão
Segunda-feira, 1 º de Julho de 2013

Sexta-Feira, início do Carnaval. Subo no ônibus na Barra em direção ao Centro via orla. Ao passar pela roleta noto os passageiros diferentes do habitual. Uma rapaziada jovem e forte. Nenhum negro. Bebendo e fumando cigarro. Aquela batucada típica dos bons tempos de Maracanã. Apesar do comportamento não houve desrespeito direto aos passageiros. A batucada foi virando destruição do ônibus. O linguajar era típico de integrantes de facções cariocas mas dentro do contexto deles. Estavam indo preparados para um confronto com rivais. O líder do grupo estava portando um soco inglês e incentivou os demais a não correr do pau. Quebraram o coletivo com muita vontade. Não devem usar essa linha. E assim seguimos viagem sem que o motorista tomasse qualquer atitude até a descida do grupo em Ipanema. Até uma janela foi arrancada. O sentimento era unânime entre os passageiros, uma mistura de revolta e perplexidade. Não aparentavam ser jovens de baixa renda, como dizem nos noticiários, logo esse tipo de atitude infantil incomoda muito os simples passageiros cotidianos, já revoltados com o péssimo serviço. Como eram muitos ninguém falou nada. E a vida seguiu.

Nunca pensei que a revolta dos playboys seria um fenômeno em grande escala que iria explodir no Brasil inteiro. Essa grande massa que está indo as ruas em sua maioria é composta por eles. Nas grandes metrópoles é grande o número de parasitas da sociedade. Pessoas que não trabalham nem informalmente e vivem as custas de outras pessoas e/ou do governo. Não estou falando dos pensionistas e das donas de casa, mas provavelmente de seus dependentes. Estou falando de um fenômeno que impacta diretamente na economia de todo o país. Seja o estudante de uma vida inteira que nunca vai se formar ou aquele favelado que vive entre os mundos do tráfico e do carnaval. Estou falando dos jovens que nunca assumem nenhuma responsabilidade em suas vidas vivendo sob a sombra dos pais.

Que moral tem essa juventude exaltada pela mídia manipulada para protestar por qualquer coisa ? Como alguém pode protelar um negócio chamado passe livre ? Provavelmente pessoas que não tem noção do que é ganhar dinheiro. Pessoas que acreditam que uma entidade chamada governo deve prover tudo em suas vidas, assim como seus pais fazem. Diante da realidade que se impõe na forma da crescente crise econômica do Brasil os playboys revoltados foram para a rua fazer pirraça quebrando tudo. Estão de fato apavorados. Muitos já ficaram sem suas empregadas domésticas. Um duro golpe.

Embora muitas pessoas trabalhadoras tenham juntado-se aos protestos conferindo uma certa legitimidade, até por causa dos gastos superfaturados com os eventos, quem foi chamado para conversar foram os estudantes.

Falem sério, vocês acham que as pessoas que moram longe do Centro do Rio ficariam protestando até tarde ? Os usuários dos ramais Japeri e Santa Cruz devem ficar preocupados com a hora em que vão chegar em casa. Se nos dias normais já é complicado, imagina nos dias de baderna.

Vou deixar bem claro o que penso a respeito dessa onda de protestos com relação ao Rio de Janeiro. Assim como os playboys que quebraram o ônibus existem em todas as classes sociais pessoas que aproveitam-se de situações para praticar ações que prejudicam outras pessoas sem nenhuma relação com a luta pelo bem coletivo. Pensam apenas em si próprias. Os saques nas lojas e os arrastões na Avenida Brasil são a prova disso. E a mão da justiça continua agindo da mesma forma. Os playboys meteram a porrada na PM mas não ficaram na cadeia e os favelados que não deram tiro no Bope foram para o cemitério. E ainda ficam gastando milhões em propaganda para dizer que o Rio de Janeiro está mudando. E o pior é que sou obrigado a concordar. Zumbis do crack, engarrafamentos diários, imóveis supervalorizados, alto custo de vida. Até o Maracanã não é mais para o povão.

Estou começando a me sentir como se morasse em São Paulo…